Quais são os 3 principais tipos de sistemas empresariais?

6 minutos para ler

Você, certamente, já deve ter ouvido falar sobre vários tipos de sistemas empresariais. Entretanto, a maioria das pessoas não sabe exatamente qual a função de cada um deles e como são úteis ao negócio em diferentes áreas. Para ajudar em uma escolha tão importante, saiba que a opção adequada varia conforme suas necessidades.

Assim, esse tipo de investimento, baseado em crescimento e automação do trabalho, torna-se decisivo para se destacar no setor, não importa qual seja a área de atuação. Sem contar que a gestão estratégica é muito importante tanto ao clima organizacional quanto à redução de custos em longo prazo.

Quer saber mais? Conheça os 3 principais tipos de sistemas empresariais e como escolher o melhor para o seu trabalho. Acompanhe!

1. ERP (Enterprise Resource Planning)

Um dos sistemas empresariais mais usados é o ERP (Enterprise Resource Planning), também chamado de Planejamento de Recursos Humanos, em tradução livre. O software é desenvolvido para gerenciar de forma integrada todos os departamentos do negócio.

Como as informações ficam centralizadas em um só lugar, torna-se mais simples reduzir os problemas e as dúvidas que interferem nas tomadas de decisões. Entre as principais vantagens está a possibilidade de agilizar a comunicação interna e fazer com que áreas essenciais para o desenvolvimento do trabalho, como logística, vendas, contábil e suprimentos, atuem em conexão e muito mais agilidade.

Outro ponto que deve ser levado em consideração é a possibilidade de aumentar a transparência em todos os processos importantes do negócio. Um bom exemplo disso está no monitoramento diário de estoque ou fazer relatórios bem detalhados. Acompanhe, a seguir, outros benefícios do ERP:

  • segurança dos dados;
  • auxílio na retenção de clientes;
  • personalização dos processos;
  • otimização dos custos de TI:
  • planejamento aprimorado.

2. CRM (Customer Relationship Management)

O CRM, ou Gestão de Relacionamento com o Cliente, tem como objetivo impactar os clientes de maneira objetiva. Esse tipo de sistema costuma ser o preferido do time de vendas por ter excelentes funções em várias rotinas. Outro atrativo muito importante é a possibilidade de integrar a jornada do cliente.

Basicamente, ele aborda todas as experiências e sensações dos consumidores durante uma jornada de compra ou durante a criação do relacionamento com uma empresa no andamento de uma parceria. Sem contar que também é possível adaptar o sistema em outros pontos do trabalho, além da venda em si, como as pesquisas sobre os fornecedores. Veja outras vantagens:

  • redução da rotatividade;
  • identificação de diferenciais competitivos;
  • aumento da fidelização;
  • fidelização ao serviço;
  • suporte mais acessível;
  • atendimento diferenciado.

3. BPM (Business Process Management)

Também conhecido como Gerenciamento de Processos de Negócios, o BPM é um conjunto de práticas de gestão integrada que focam a avaliação e identificação das oportunidades de melhoria em seu negócio. A lógica costuma ser muito simples. Para que o crescimento aconteça, torna-se indispensável conhecer a fundo todos os processos envolvidos na realização do trabalho.

Dessa maneira, o sistema permite estudar sobre desempenhos individuais, de equipes e áreas importantes para que os gestores consigam tomar melhores decisões. Os resultados, nesse caso, acontecem por meio da reunião de avaliações técnicas e tecnologia.

No entanto, quando chega o momento de aplicar esses resultados na prática, o software será responsável por ajudar a direcionar todos os processos com monitoramento detalhado. Considere, também, que ele é um bom aliado na hora de encontrar gargalos na operação e direcionar melhor os recursos disponíveis na empresa.

Entenda o que influencia a escolha

Entre todas as opções disponíveis no mercado, você precisa ter em mente que, para acertar em cheio na escolha, é importante conhecer as necessidades de sua empresa. Além disso, pensar nos benefícios que o sistema pode trazer faz diferença no momento de traçar objetivos e aproveitar ao máximo todos os benefícios que chegam junto desse tipo de investimento.

Ao fazer pesquisas, pare por um minuto e pense em quais serviços um sistema de gestão completo precisa ter. A partir de sua resposta, fica simples identificar as prioridades no andamento do negócio e, especialmente, quais são os principais problemas que comprometem a eficiência dos processos.

Diante das urgências do dia a dia, otimizar algumas atividades deixou de ser um luxo das grandes corporações. Não importa qual seja o tamanho do negócio, impactar positivamente seus clientes é necessário para crescer. Então, para garantir um clima organizacional positivo, invista em sistemas que permitam fazer a gestão estratégica conforme uma análise ampla do modelo do negócio, dos colaboradores e dos gestores.

Saiba usar os módulos

O sistema ERP costuma ser o melhor em uso empresarial. Esse tipo de software apresenta módulos que, normalmente, não são encontrados em opções comuns. A função do módulo, na prática, é agrupar todas as funcionalidades de um setor controlado pelo sistema.

Vale lembrar que é comum que as empresas usem um ou mais sistemas, conforme as especificações das tarefas. Veja, a seguir, os módulos que são as partes integrantes do ERP:

  • organização: gerencia o financeiro e ajuda a colocar a contabilidade em ordem de maneira geral;
  • controle de informação: os módulos permitem integrar os dados de diferentes áreas da empresa. Assim, as atividades de cada departamento podem ser vistas em uma mesma tela como forma de otimizar o planejamento e as decisões;
  • personalização: esse formato trabalha com módulos específicos, conforme as necessidades de cada corporação. Tende a ser bastante vantajoso para PME’s que precisam ter uma melhor noção de escala.

O grande segredo, em uma situação como essa, é contar com a ajuda de uma empresa que seja considerada referência no mercado e tenha bastante experiência para ajudar a encontrar soluções personalizadas, como a DATACAMP. Em seus serviços, ela se destaca pela capacidade de elaborar softwares acessíveis que se encaixam exatamente com os objetivos de seu negócio.

Além disso, oferece novas ferramentas de busca e otimização das informações e relatórios em diferentes formatos. Tudo isso, em uma proposta bem atual e adequada, conforme as rotinas de diferentes setores.

Pronto! Agora você já sabe quais os tipos de sistemas empresariais e como eles podem se encaixar em seu negócio. Ao optar pelo ERP, por exemplo, existe a chance de se desenvolver de maneira sustentável, com foco em fidelizar clientes, ao mesmo tempo em que a grande quantidade de dados deixa de ser um problema de gerenciamento e se torna a identificação de como encontrar melhores oportunidades.

Gostou das informações do artigo? Então, entre em contato com a DATACAMP e entenda como os sistemas empresariais podem se adaptar ao seu negócio.

Posts relacionados

Um comentário em “Quais são os 3 principais tipos de sistemas empresariais?

Deixe um comentário