NFC-e: o que é, como funciona e como emiti-la?

4 minutos para ler

A Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica (NFC-e) é muito utilizada no Brasil, principalmente pelos varejistas. Esse documento digital chegou para fazer a substituição do modelo impresso que já foi amplamente utilizado no território nacional. Ele auxilia a reduzir custos, ajuda a manter o negócio em dia com a legislação e melhora o controle das vendas.

Neste post, vamos explicar o que é a NFC-e e quais são os seus benefícios, além de falar a respeito do Danfe e mostrar as diferenças entre NF-e e NFC-e. Então, acompanhe a leitura e fique por dentro do assunto!

O que é a NFC-e?

NFC-e é a sigla para Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica, que é um documento fiscal digital útil para o registro das transações que são realizadas entre os comerciantes e os consumidores finais. Ela é semelhante ao cupom fiscal e faz parte do Sistema Público de Escrituração Digital (SPED). Trata-se, portanto, de uma evolução das notas fiscais.

Quais são os benefícios da NFC-e?

Existem diversos benefícios oriundos do uso da NFC-e. Entre eles, podemos citar a redução da burocracia, a economia referente às impressões e diminuição do desperdício dos papéis, a integração com os dispositivos móveis, a emissão em qualquer lugar e a qualquer momento, o acompanhamento dos envios em tempo real, o armazenamento nas plataformas digitais, a organização adequada, além de muitos outros.

Já para o consumidor as vantagens são o recebimento do extrato da NFC-e por e-mail ou SMS, a impressão em qualquer máquina, a agilidade nos atendimentos, a opção em guardar ou não os cupons impressos, a possibilidade de consultar esses documentos por meio de um QR Code no celular, tablet ou outros dispositivos móveis, entre outras.

O que é Danfe?

Danfe é o Documento Auxiliar da Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica. Na realidade, ele é um comprovante que vai apresentar resumidamente as informações que fazem parte da NFC-e.

Nele, é possível localizar o QR Code e a chave de acesso para visualizar o documento por meio do dispositivo móvel. Ele contém o endereço, o destinatário e o remetente, em caso de entrega em domicílio.

Qual o papel da tecnologia na emissão da nota?

A NFC-e surgiu em virtude da tecnologia e trouxe consigo a possibilidade de automatizar o procedimento de emissão desses documentos, bem como um controle mais efetivo por parte do Fisco.

Na atualidade, há uma tendência natural de que os processos empresariais migrem para o ambiente digital, uma vez que isso favorece a gestão das empresas do varejo

Qual a diferença entre NF-e e NFC-e?

A NFC-e é restrita para as operações de vendas aos consumidores finais, e a sua emissão é simplificada. A NF-e, por sua vez, atende às demais situações, por exemplo, exportações, transferência de mercadorias, operações de compra e venda, devolução etc.

Outra diferença visível é que o Danfe da NFC-e é muito mais simples do que o da NF-e em termos de conteúdo impresso.

Como converter NFC-e em NF-e?

Para converter a NFC-e em NF-e, basta acessar o campo “Tipo de Saída”, selecionar a opção “Emissão Própria” e salvar o documento. Dessa forma, o documento já estará disponível e poderá ser emitido por meio do campo “Vendas”, clicando em “Notas Fiscais”. Caso tenha ocorrido a exclusão de uma nota fiscal por acidente, é necessário gerar outra.

Entendeu o que é NFC-e, como funciona e como emiti-la? Saiba que é possível criar um banco de dados para armazenar os documentos fiscais eletrônicos no seu computador ou em serviços de nuvem. Outra opção importante é a realização de backups para ter mais segurança em relação a essa documentação, que precisa ficar guardada durante pelo menos 5 anos.

Ainda tem dúvidas ou deseja obter mais informações? Entre em contato conosco agora mesmo!

Posts relacionados

Deixe um comentário